Curiosidades do Natal

Muitos são os símbolos cristãos que marcaram a história da humanidade, desde os tempos antigos até os dias atuais. Mas entre eles, junto com a Páscoa e o Pentecostes, o Natal se destaca, talvez como um dos mais simbólicos e alegres. No dia 25 de dezembro de cada ano, todos os fiéis da Igreja Católica e Anglicana, algumas comunidades protestantes e boa parte das Igrejas Ortodoxas comemoram com alegria o nascimento de Jesus Cristo em Belém. As curiosidades do Natal o levarão a uma viagem completamente interessante, em que muitos usos e costumes conseguiram manter-se ao longo dos séculos, enquanto outros foram criados com a evolução do mundo.

CURIOSIDADES DO NATAL:

  • Qual foi o primeiro cartão de Natal? Agora são muito comuns, mas quem os criou e quando? Sir Henry Cole, funcionário público e inventor britânico, foi o seu inventor e quem os projetou foi John Calcott Horsley, pintor inglês, em 1843. O pintor desenhou uma cena típica de Natal onde podia ler-se “Feliz Natal e Ano Novo”. Sua comercialização foi um sucesso, que continua até hoje.
  • Rudolph possivelmente não era macho. Sim, por mais estranho que pareça Rudolph, a famosa rena de nariz vermelho que acompanha o Papai Noel, possivelmente não era ou é macho, aliás há quem defenda que nenhuma de suas renas é. Como eles têm tanta certeza? Um grupo de biólogos da Estônia observou que geralmente apenas cervos fêmeas mantêm seus chifres até janeiro.
  • Uvas da fortuna. Que significam? Existem muitas teorias a esse respeito, mas a que mais pesa é aquela que coloca o costume de comer uvas e champanhe entre as ricas famílias francesas no final do século XIX. Esse costume se espalhou para a realeza espanhola e mais tarde os mercadores da época as chamaram de uvas da sorte ou fortuna e começaram a vendê-las na época.
  • Por que as cores do Natal são normalmente o verde e o vermelho? Como tudo tem um significado, as cores do Natal não fogem. O vermelho, tão representativo da época, se deve ao sangue de Cristo, um forte símbolo religioso. Já o verde significa esperança, vida e renovação, algo muito importante principalmente no inverno dos países do hemisfério norte.
  • Quando surgiu o nome de São Nicolau? A figura popular sobre São Nicolau surgiu pela primeira vez no século 13 na Holanda. Era um homem mais velho, que tinha barba branca, vestidos eclesiásticos, uma sacola para guardar presentes para as crianças e montava um pequeno burro. No século 17, os holandeses trouxeram esse curioso personagem para a América do Norte com o nome de Sinterklaas, que mais tarde se tornou Papai Noel.
  • Qual é a origem da roupa vermelha do Papai Noel? Outra das curiosidades de Natal mais incríveis é aquela que fala sobre a origem da lendária roupa vermelha. Embora haja alguma polêmica em torno do assunto, a realidade é que a roupa vermelha que o Papai Noel usa hoje se deve a um anúncio de 1930 da marca de refrigerantes Coca Cola.
  • Outros formatos de Papai Noel no mundo. Em muitas partes do mundo, há personagens que trazem presentes para as crianças no Natal e recebem muitos nomes diferentes, dependendo do país: Kris Kringle na Alemanha, La Befana na Itália, Pere Noel na França, Deushka Moroz na Rússia, Olentzero no País Basco ou Viejito Pascuero no Chile.
  • O Natal em inglês. Embora muitos costumes comerciais sejam adicionados ao Natal, os mais importantes permanecem enraizados em sua origem religiosa. Em inglês, a palavra usada para Natal é Christmas, que significa missa ou festa de Cristo.
  • O maior presente de Natal. Entre as curiosidades do Natal, existe o que é considerado o maior presente de Natal que alguma vez já foi entregue. É a imponente Estátua da Liberdade, que foi presenteada pelo governo francês ao povo dos Estados Unidos, em 25 de dezembro de 1886.
  • A origem da Árvore de Natal. Praticamente todos os amantes desta festa se deleitam em montar a típica árvore de Natal em suas casas. Nela, os historiadores acreditam que encontra sua origem nas festas dos povos nórdicos pelo nascimento do deus Frey, nas quais adornavam uma árvore perene.
  • E sobre as luzes da árvore? Pois bem, com o tempo, a iluminação foi acrescentada à árvore tradicional, que hoje é um elemento essencial. Diz a lenda que foi o reformador Martinho Lutero, a primeira pessoa a iluminar uma árvore de Natal com velas grandes.
  • Quando o uso da árvore se tornou popular? As árvores de Natal como as conhecemos hoje, tornaram-se populares durante o século 19 na Grã-Bretanha. De lá, eles foram para a Europa e chegaram à América por volta de 1820.
  • As Coroas de visco. A forma arredondada das coroas de visco representa a eternidade, que não tem começo nem fim. Também é dito que simboliza a coroa de espinhos de Cristo e as bagas vermelhas, o sangue que ele derramou em sua paixão.
  • E qual é a origem dessas coroas? Antigamente, eram colocadas na porta principal das casas das famílias mais importantes e denotavam poder e dignidade. Suas origens são celtas e para eles o visco era uma planta mágica que era usada neste caso para defender a casa do mal externo.
  • A tradição dos Reis Magos. Em muitos países latinos, a festa dos Três Reis Magos é celebrada em 6 de janeiro. Todos sabem que são três e seus nomes: Melchior, Gaspar e Baltasar. No entanto, isso não corresponde ao que a Bíblia diz. São Mateus, o único que os cita, fala de “mágicos”, nada mais.
  • A trégua natalina da guerra. Entre as histórias mais chocantes e comoventes do Natal, encontramos a da Trégua de Natal da Primeira Guerra Mundial, na qual combatentes britânicos e alemães compartilhavam tabaco, comida, canções de natal, enterravam seus mortos e até jogavam futebol.
  • Cartões de natal que salvaram vidas. Este é um evento ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial. Naquela época, a Cruz Vermelha tinha permissão para distribuir cartões de Natal para prisioneiros de guerra americanos em campos alemães. Estes carregavam uma rota de fuga para os prisioneiros que foi revelada quando o cartão postal ficou molhado. Os nazistas nunca descobriram.
  • O Natal e as teias de aranha. Um dos fatos curiosos sobre esta data é a tradição polonesa de usar teias de aranha nas decorações de Natal. Vem da lenda que diz que uma aranha teceu um cobertor para que Jesus se aquecesse na manjedoura.
  • O costume das meias. As meias que são colocadas na chaminé para o Pai Natal deixar os seus presentes são de uma lenda holandesa. Nos lares que não possuem lareira as meias são colocadas atrás da porta de entrada ou perto da árvore.
  • A canção de natal mais popular. Trata-se de “Silent Night” ou “Noite Feliz”. Esta peça, originalmente escrita pelo religioso Joseph Mohr com arranjos musicais feitos por Franz Xaver Gruber em 1816, é a canção de Natal com mais versões no mundo, com um incontável número de gravações autorizadas. A versão interpretada pela cantor e ator Bing Crosby é a que mais vendeu, com cerca de 50 milhões de cópias em todo o mundo. Em 2011 foi considerada um Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.
  • Os beijos sob o visco. Outro fato curioso sobre o Natal e suas tradições está relacionado ao costume europeu de beijar sob o visco. Este costume romântico tem sua origem na mitologia nórdica. Especificamente em uma história relacionada à deusa do amor Frigg.
  • A estrela de Belém. As estrelas têm sido usadas desde o início dos tempos, como um guia. Soma-se às curiosidades do Natal, pois representa a esperança de chegar ao lugar do nascimento de Jesus. Graças a este simbolismo, quase sempre estão presentes em todas as decorações.
  • A origem das bolas de cristal. As tradicionais bolas de vidro são um dos elementos mais emblemáticos das árvores de Natal. Sua origem está na população da Boêmia, Alemanha, há mais de dois séculos. Naquela época, os sopradores de vidro competiam para fazer a bola maior e, no processo, descartavam as que não os satisfaziam. Então as mulheres os resgataram e enfeitaram as portas de suas casas com eles no Natal. Atualmente são utilizados outros materiais para a sua confecção.
  • As decorações mais estranhas de Natal. Se falamos das curiosidades do Natal, há países onde se usam utensílios bastante invulgares para as suas decorações. Entre eles estão cascas de ovo, usadas como símbolo de vida. Também os biscoitos de sal, que limpam as energias ruins, as nozes, símbolo de saúde, ou os peixes, que representam o cristianismo e a abundância dos dons espirituais.
  • O simbolismo dos pássaros. Não são apenas as renas épicas do Papai Noel que protagonizam o Natal. Os pássaros, especialmente os tordos, também têm um valor especial nesta celebração. Eles são usados ​​como parte da decoração, a fim de trazer alegria e felicidade para o lar. Em alguns locais, um ninho fica até escondido dentro da árvore de Natal, pois acredita-se que trará sorte para quem o encontrar.
  • Os sinos de Natal trazem boas energias. Outro fato curioso é o uso de sinos, que já dura séculos. Eles são usados ​​como um símbolo poderoso, capaz de mover energias, afastar os maus espíritos e acolher os bons, como os anjos.
  • Os quebra-nozes natalinos. Estas encantadoras decorações de Natal foram um presente típico, entre os séculos XVI e XVII. O auge de sua popularidade foi alcançado nos territórios da Suíça, França, Alemanha e Inglaterra. Eles são considerados emblemas de boa sorte e proteção contra espíritos malignos.
  • Os corações como decorações de Natal. Além de bolas de cristal, estrelas e anjos, o uso de corações nas decorações também é comum. Eles estão ligados como um símbolo de amor, assim como o lugar onde a alma reside. No Natal, eles representam a energia do amor e da compaixão.
  • Sapatos novos no Natal?. Uma das curiosidades mais charmosas do Natal é a que faz referência aos sapatos. Segundo a crença popular, calçado novo no dia de Natal dá sorte. Mesmo na Grécia, muitas pessoas queimam seus sapatos velhos no dia de Natal, como um ritual de bom presságio para o ano que se inicia.
  • Comer bolo no Natal. Entre as tradições mais modernas da época natalícia, temos a do bolo. É uma superstição anglo-saxã, que garante que comer bolo na ceia de Natal evita que percamos um amigo no ano que vem.