Leandro Karnal

Leandro Karnal | Frases Famosas. Leandro Karnal é palestrante, escritor, doutor em História, professor brasileiro e autor de diversos livros

Leandro Karnal é palestrante, escritor, doutor em História, professor brasileiro e autor de diversos livros, alguns como como “O Dilema do Porco Espinho” e “Viver, A Que Se Destina”, em parceria com o filósofo Cortella, estão entre os mais vendidos do Brasil. Por onde passa, compartilha ensinamentos e reflexões sobre religião, filosofia, história, política, comportamento, entre outros assuntos.

—-



Leandro Karnal

  • A cabeça que encontra a solução é a mesma que elabora o problema.
  • A corrupção nos torna covardes, vamos tendo medo e consciência do mundo.
  • A dúvida incomoda muito e, não obstante, dela nasce quase toda transformação científica ou de valores.
  • A família e o celular são os dois grandes valores que sociedade ocidental construiu.
  • A internet deu o estatuto de intelectual orgânico a todos que tiverem acesso à rede. É o eclipse do conhecimento em si e o despontar da militância catequética.
  • A inveja é um tipo de cegueira, ela é a dor pelo sucesso alheio.
  • A não aceitação das diferenças torna o mundo um lugar horrível. Quem aceita isso é civilizado. Quem não aceita isso é bárbaro.
  • A vaidade é sempre forte. Disfarçada de humildade então, ela é avassaladora.
  • A vida é muito curta para que se perca tempo numa existência medíocre.
  • A vida é muito curta pra que eu perca tempo com babacas cheios de ódio.
  • A solidão não quer dizer um isolamento, mas é a consciência que a minha dor é minha dor, e de fato ninguém é responsável pelo meu fracasso e ninguém é responsável pela minha felicidade.
  • Ainda que eu seja um otimista melancólico, sou um otimista.
  • As multidões não são sinônimo de boa escolha política.
  • As pessoas customizam Deus para que ele caiba no seu modo de viver.
  • Como eu prefiro sentir-me vigiado do que sozinho, eu prefiro me sentir criticado do que largado pela indiferença
  • Confundir melancolia e tristeza com depressão talvez seja o mal do século XXI.
  • Conviver é sempre abrir mão de elementos da minha liberdade, esperar que os outros abram mão de um pouco da liberdade deles e, juntos, possamos achar um ponto onde o “nós” seja possível.
  • É bárbaro todo aquele que propõe, na sua teoria, a exclusão do outro. É civilizado, seja um índio ianomâmi, ou um alemão, todo aquele que propõe a aceitação da existência do outro.
  • É fundamental pessoas de diversas etnias, é fundamental que existam diversas opiniões, inclusive contrárias à minha.
  • É no conhecimento que existe uma chance de libertação.
  • Enviar trechos bíblicos para mim é como enviar pornografia para um senhor de 96 anos: eu lembro daquilo, já gostei, mas não provoca nenhuma reação mais em mim há muito tempo.
  • Estamos gritando desesperadamente para sermos observados, nos sentimos muito solitários.
  • Eu queria ter sido aluno hoje, ou professor há cinquenta anos quando os alunos ficavam em pé quando o professor entrava na sala.
  • Faça, porque se você não fizer, em breve, o resto será silêncio.

—-



Leandro Karnal

  • Felicidade é conservar energia para coisas que valem a pena.
  • Infelizmente nós estamos ficando sem símbolos, estamos ficando sem referências de honestidade.
  • Meu medo não se baseia na função que encerra, mas da vida que continua.
  • Não existe neutralidade em história. Neutro, para historiador, é só sabão de coco. Toda opinião é política.
  • Narrar uma história para uma criança é colocar uma marca indelével na sua formação. Creia-me: ela pode esquecer os nomes, no entanto a experiência será eterna. Para sempre, estarão no fundo da mente, dialogando com outras histórias.
  • Nunca tantos seres humanos tiveram a capacidade de ler. Nunca tantos leitores tiveram crescente dificuldade com a interpretação do lido.
  • O fracasso é um quarto confortável. O sucesso é um quarto desafiador.
  • O mundo virtual instalou uma catraca na caverna de Platão.
  • O que eu penso, não muda nada além do meu pensamento, o que eu faço a partir disso, muda tudo!
  • O que todo estado fundamentalista teme é a educação das pessoas.
  • O racismo é um grito a denunciar nossa imbecilidade.
  • Os livros são poderosos instrumentos de transformação. E quanto mais interesse eu tiver, mais interessante eu fico.
  • Pessoas elevadas falam de ideias; pessoas medianas falam de fatos; pessoas vulgares falam de pessoas.
  • Provavelmente a indiferença seja a maior e mais cruel das maldades humanas, pois ela significa que eu sequer estou lhe vendo.
  • Quando vejo jovem pedindo a volta da ditadura, sinto que eu, como professor de história, fracassei.
  • Quem respeita o governador e não respeita a faxineira não é um líder, e sim um interesseiro.
  • Ser louco é a única possibilidade de ser sadio nesse mundo doente.
  • Ser odiado por algumas pessoas é uma grande honra. Seria terrível se eu fosse amado pelos que odeiam.
  • Ser racista não é apenas um crime e uma ofensa ética, também é um sinal claro de limitação intelectual, pois eu estou defendendo uma ideia que não tem nenhuma base.

Leandro Karnal

  • Só tem amigos quem é bom, se não for bom, terá apenas cúmplices.
  • Somos um país violento. Violentos ao dirigir, violentos nas ruas, violentos nós comentários e fofocas, violentos ao torcer por nosso time, violentos ao votar.
  • Todas as festas são um barulho alto para impedir que eu expresse a melancolia densa e profunda da minha existência.
  • Todo fracasso tem seu motivo, como o sucesso tem seu custo.
  • Uma criança mimada será um adulto infeliz.
  • Uma obra clássica contraria tudo o que os jovens leem no smartphone. Ela resiste ao primeiro contato, apresenta uma experiência prolongada que demanda foco por muito mais tempo do que uma ‘tuitada’.
  • Uma pessoa que decide não conhecer, aceita sua condição de escravo, aceita sua condição de submissão; conhecer é a condição pra eu me libertar de mim mesmo e das amarras sociais.
  • Vivemos a Era do descartável, eu conheço uma mulher quando ela guarda o papel do presente…
  • Vivemos em meio a muitos livros, milhares de fotos, excesso de compromissos, fartura de dados e jejum de análises. Um banquete impressionante para convivas inapetentes e entediados em meio a cliques.